domingo, 19 de novembro de 2017

PROVAÇÃO, TENTAÇÃO, PACIÊNCIA, MORTE

Texto: Tg 1.12-15


A provação deve ser suportada com paciência, e essa paciência vem da fé. E essa paciência torna as obras perfeitas. É a história do povo de Israel no deserto. Sem a paciência a provação, a tarefa no caminho da santidade está pela metade, o homem não está acabado.

No grego a palavra "tentação" e "provação" tem o mesmo significado. Deus não é tentado pelo mal e nem tão pouco induz para o mal. Por que Deus não é o criador do pecado, mas procede da liberdade do homem frente ao mal ou bem.

Esta provação é ordenada para um prêmio futuro (cf. Ap 2,10). O suportar é um sinal, uma prova do amor do homem para com Deus.

A "concupiscência" e "desejo" tem aqui o mesmo significado. Mas aqui é a velha herança adâmica, o orgulho de querer sobrepor a verdade de Deus, e o desejo de ser semelhante a Deus, no sentido de escolher o melhor para si.

Este desejo reduz e arrasta o homem. Quando cede a esse desejo, ele dá a luz ao pecado como execução. O pecado amadurecido gera a morte.

Lutemos sempre pela vida.

Muito Ágape ao coração.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

A ELEIÇAO E A ALIANÇA DE DEUS

I - Eleição

A palavra "eleição" no hebraico chama-se bahar.

É uma necessidade a consciência de ter sido eleito, de ser um eleito. Essa eleição ocupa uma posição privilegiada entre às outras pessoas. Esta eleição é motivada pelo amor e misericórdia de Deus.

Essa eleição não é entendida pela pura lógica. É fundada no amor de Deus, é sempre gratuita, jamais pelos méritos da pessoa.

Essa eleição gratuita que iniciou no paraíso, depois passou por: Noé, Abraão, Isaac, Jacó até o povo de Israel. A eleição de Deus é apenas por sua vontade livre.

Qual deverá ser essa resposta da pessoa escolhida?

Essa eleição não pode ser motivo para uma atitude de auto-suficiência orgulhosa ou desprezo pelos outros. A eleição mais que um privilégio comporta algumas atitudes:
      • Responsabilidade
      • Comportamento bem determinado
      • Observância da justiça
      • Do direito
      • Obrigações cultuais
A eleição é dom de Deus, solicita uma resposta da pessoa escolhida, exige fidelidade a tarefa que lhe é confiada. E para que continue na condição de eleito é importante a resposta contínua de obediência do escolhido.

O eleito deve testemunhar para os outros, que Deus é o único Deus, Senhor de todas as coisas. Aquele que salva, cura e liberta o seu povo.

II - Aliança

A palavra "aliança" vem do hebraico berit.

Esta aliança tem um ponto muito peculiar, um elemento jurídico. Ele escolhe a pessoa e esta, se compromete ao serviço exclusivo e a obediência a IHWH. Essa aliança tem um nexo com a eleição-salvador gratuito.

Se experimenta a intervenção de IHWH antes de assumir qualquer compromisso com ele. Tanto a "eleição" e "aliança" são graça e iniciativa de IHWH, mas que nos compromete, não se fica passivo nessa iniciativa. É solicitada uma obediência vivida no compromisso "ético" e "cultual".

É de suma importância a nossa resposta, pois a infidelidade acabará quebrando a aliança. Mas Deus que é sempre fiel, promete uma nova aliança (cf. Jr 31,31; 32,37-44).

Resume-se que essa aliança-eleição, está sublinhada a relação de Deus e o homem. Comporta um relacionamento pessoal permanente, seja qual for a extensão significativa concedida ao termo berit.

Referencia: Livro Unidade na Pluralidade, Alfonso G. Rubio, pag. 137-139.

NOTÍCIAS DA IGREJA