terça-feira, 25 de dezembro de 2007

PERDÃO


Também somos desordenados no nosso relacionamento com as coisas, nós somos de apegos, de sentimentos de posse que nos desequilibram. Nossos maiores problemas começam em nossa primeira comunidade, que é a nossa família. Nós vamos trazendo marcas em nossa vida, desde pequenininho, desde criança. Vamos trazendo marcas dentro de nós e os anos vão se acumulando, ressentimento após ressentimento e vai se criando um cascão ao redor de nosso coração. E tudo isso acontece por que nós somos muito duros para dar perdão, nós já não sabemos nos humilhar a exemplo de Jesus (cf. Fl12,6-8), e de Maria (cf.Lc 1,48) que em suas vidas souberam se humilhar.

O mundo colocou em nós uma idéia errada sobre o que é humilhação. Ligamos humilhação a sofrer e por causa disso nós não nos humilhamos na frente das pessoas, não damos e nem pedimos perdão. Jesus continua a nos falar: “Quando estiveres diante do altar, pronto para entregar a tua oferta e se lembrar que teu irmão tem alguma coisa contra ti, vai tu a ele e reconcilia-te com ele e depois então volta e faz a tua oferta” . (Mt 5,23-24).

O engraçado de tudo isso é que o Senhor diz: “Se teu irmão tem algo contra ti”, não é, “Quando você tem algo contra ele”. Muitos então indagamos mas Senhor não fui eu quem errou, foi ele! Mas o Senhor é incisivo: “Vai tu! És tu, que és o cristão, vai tu”. Esse é o caminho do Senhor, que nunca cometeu nenhum erro, mas que veio a terra para se reconciliar com os homens que no Paraíso lhe disseram não, e não quiseram mais a sua amizade e o seu amor.

Jesus nunca teve nenhuma culpa e assumiu a culpa de todos. É o caminho de Deus passarmos pela humilhação para atingirmos o perdão, pois assim foi com Maria, e foi com Jesus, o próprio Filho de Deus feito homem. Só na humilhação morrerá tanto orgulho, tanta vaidade, tanta podridão que existe dentro de nós.

Em Mateus encontramos: “Tudo que sai da boca do homem provém do coração deste homem”(Mt 15,1-20). Observemos que da nossa boca sai muito mais palavras de destruição, do que palavra de edificação. Porque? Por que o nosso coração é cheio de ressentimentos. São Paulo nos diz: “Eu faço o mal que não quero, ao invés do bem que quero fazer”(Rm 7,19). Muitas vezes nós nos surpreendemos dizendo palavras grosseiras para os outros e depois ficamos arrependidos dizendo: “Meu Deus como é que eu fiz isso?” Mas tudo isso acontece porque o coração está cheio de ressentimentos, cheio de mágoas, cheio de revoltas e a boca fala aquilo que o coração está cheio. Precisamos ser pessoas equilibradas, sadias. E para sermos assim, precisamos treinar e não podemos deixar isso para amanhã, tem que ser hoje.

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA