sábado, 26 de janeiro de 2008

SINAIS VOCACIONAIS GERAIS

A) Sinais existenciais: -Um vocacionado deve manifestar pelo modo de ser que existe nele um processo inicial de crescimento;

1- Na dimensão humana (VF): aceitação de si e dos outros; senso de responsabilidade; posicionamento crítico diante da realidade; suficiente integração da afetividade e da sexualidade; bom uso da agressividade; capacidade de interiorização...
2- Na dimensão Cristã (VF):

a) Vivência espiritual: amor pessoal a Jesus, á Eucaristia, á Nossa Senhora, á oração; valorização da Palavra, pessoal e comunitariamente; orientação espiritual...

b) Testemunho de vida: busca de coerência entre vida e vocação; comportamento adequado ao tipo de vida que quer assumir; responsabilidade nos compromissos do dia-dia: estudo, trabalho, atividades; desejo do "mais" em tudo...

c) Engajamento apostólico: estar comprometido com uma atividade pastoral concreta, na comunidade; servir; amor á Igreja, aos Pastores e tendo uma dedicação especial pelos mais pobres, assumindo os riscos que isso comporta; alegria na doação; capacidade de reflexão e de revisão...

3- Na dimensão vocacional específica(VE); suficiente certeza interior do chamado para vocação. Alguns sinais:
• atração pela vocação desejada;
• interesse cinsero e constante por ela;
• clareza, segurança e alegria diante dela;
• força em superar as dificuldades e os desafios na sua realização; família, trabalho, estudos, bens, apegos, críticas, discriminação, tentação...
• satisfação global por estar a pessoa acertando na escolha, apesar de dificuldades previstas ou já experimentadas.

OBS:
• É necessário que haja a presença simultânea da maioria destes sinais - pelo menos de maneira incipiente - para ter clareza de uma vocação autêntica, em processo de crescimento.
• Estes sinais podem co-existir com fraquezas e limitações. O vocacionado, porém, é sempre alguém que deseja o "mais" e nunca é uma pessoa acomodada.
• Prestar sobretudo atenção aos sinais da dimensão específica por que eles definem existencialmente o chamado pessoal: vocação laical, sacerdotal, religiosa, missionária.

B) OUTRO ENFOQUE: sinais que costumam estar presentes no vocacionado:
Sensibilidade diante das necessidades e sofrimentos dos outros. Abertura e disponibilidade para servir os empobrecidos e marginalizados. Amor á justiça.
Empenho em descobrir e encontrar o sentido profundo da vida, do trabalho e do amor.
Criatividade nos relacionamentos interpessoais, na vida, no apostolado.
Firmeza nas convicções e nas decisões. Saber dizer sim ou não, quando for necessário, para ser fiel aos valores evangélicos.
Liderança para criar comunidade, animando, apoiando, responsabilidade. O líder busca sempre o que é importante para a comunidade e valoriza os talentos de cada um.
Idealismo, desejando ir além do presente e do que se vê. Cultivar ideais capazes de suscitar gestos corajosos em favor dos outros. Sonhar com dias melhores. Ter vontade de anunciar e testemunhar os valores do Evangelho.
Experiência espiritual como descoberta existencial de Deus pai que nos ama; grande afeição ao Senhor Jesus; abertura ao Espírito; amor e confiança em Nossa Senhora. Este sinal é fundamental; sem ele, os outros pedem em força e valor. (cf CIGOÑA, J. Ramon. acompanhamento Vocacional )

OBS .: O "enfoque" apresentado quer oferecer um "indicador ideal" para uma confrontação com a realidade do Jovem a qual é bem diferente. Exige-se uma caminhada lenta e difícil para que ele alcança níveis vocacionais tão maduros.

C) CONDIÇÕES GERAIS:
- saúde física e psíquica: ausência de problemas graves;
- desenvolvimento intelectual: rendimento escolar;
- idoneidade moral: valores e critérios de comportamento.

BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA
- CIGOÑA, J. Ramom F. de Lá. Acompanhamento Vocacional: um caminho. São Paulo, Loyola, 1983.
- CNBB. Guia pedagógico de pastoral vocacional. São Paulo, Paulinas, 1983. (Estudos, 36).
- JESUÍTAS. Guia Vocacional da Companhia de Jesus; orientação e subsídios. São Paulo, Loyola, 1986.

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA