quarta-feira, 9 de julho de 2008

O PERDÃO E AS CURAS

Textos base: Mt 9,6; 11,5


Os pecados e as doenças existentes em nosso meio dão testemunho dos "direitos" que o Mal tem sobre nós. Ora, foi esta nossa natureza humana que o Senhor redimiu com Encarnação, trabalhos, morte e Ressurreição. Quando o Salmista exerta que tudo o que está nele bendiga ao Senhor pelos seus benefícios, ele grita: "Bendize ao Senhor, ó minha alma! É Ele quem perdoa toda culpa tua, e cura todos os teus males!" (Sl 103(102),2-3). Pela mesma razão o profeta Isaias, quando predisse a libertação da Cidade de Deus, acrescentou: "Nenhum habitante dela tornará a dizer: 'Estou doente', porque o povo que ali morar alcançarar o perdão!"


Esta predição foi cumprida além de toda a antecipação quando Jesus, o Redentor, veio a esta terra. Quão numerosas foram as curas por Aquele que veio estabelecer entre nós o Reino dos Céus! Por Seus próprios atos, e depois pelos mandamentos que deixou aos seus discípulos, Jesus mostrou-nos claramente que a pregação do Evangelho e a cura dos doentes estão unidas na salvação que Ele veio nos trazer! Ambas são dadas como evidente prova de Sua missão como Messias (ungido), (cf. Mt 11,5).


Esta verdade está bem evidente na cura do paralítico. O Senhor começa dizendo ao doente: "Teus pecados te são perdoados!" E depois acrescenta: "Levanta, toma tua cama e anda!" - O perdão do pecado e as curas se completam, porque aos olhos de Deus, que enxerga nossa inteira natureza, o pecado e a doença estão ligados tão íntimamente quanto o corpo e a alma!... Jesus solenemente declarou que cada discípulos seu deveria carregar sua cruz (cf. Mt 16,24), mas nunca Ele ensinou às pessoas doentes que aceitassem ser doentes! Em todos os lugares aonde andou o Senhor sempre fez libertações, mostrando que as curas são graças pertencentes ao Reino dos Céus! O pecado na alma e a doença no corpo são evidências da intromissão do maligno em nossos domínios, mas o Filho de Deus se manifestou para demolir as obras do demônio (cf. 1Jo 3,8; Mt 9,6).


Nas suas atitudes, nos ensinamentos aos discípulos, na missão dos apóstolos, o perdão recebido e transmitido, assim como as curas, estão sempre juntos no pensamentos do Senhor. Um ou outro, perdão e cura, aparecem mais em relevo em certas circunstâncias, conforme o desenvolvimento do ensino de Jesus, ou a fé daqueles aos quais falava. Algumas vezes, é a cura que prepara o caminho para a aceitação do perdão, noutras foi o perdão que precedeu a cura que, vindo logo após, torna-se confirmação do perdão. Na primeira parte do Seu ministério Jesus curou a muitos, achando-os preparados para crer na possibilidade de suas curas. Desta maneira, o Senhor procurou influenciar os corações para recebê-Lo como aquele que pode perdoar os pecados, ou seja, como o único verdadeiro Deus! Quando Ele viu que o paralítico poderia receber imediatamente o perdão, começou com aquilo que era da maior importância, depois do que veio a cura, confirmando visivelmente o perdão que havia sido concedido ao pecador arrependido.


Aprendemos assim que para receber as curas que o Senhor quer nos conceder em todos os níveis de nosso ser, é necessário começar arrependendo-nos de nossas faltas e confessando-as! Por isto é que aqueles que recebem curas recebem ao mesmo tempo novas bençãos espirituais e sentem-se mais intimamente unidos ao Senhor, aprendendo a amá-Lo mais e serví-Lo melhor! Amém!


Recomendo que você possa pedir a graça do arrependimento e fazer uma boa confissão, oferecendo após o perdão de Jesus aos que o ofenderam.

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA