terça-feira, 19 de agosto de 2008

O MISTÉRIO DO BEM E DO MAL

Em primeiro lugar é importante saber que: tudo aquilo que existe foi criado por Deus. E tudo o que Deus criou é bom. Não podemos acreditar na existência de forças do mal independentes de Deus, contemporâneo a ele, como da mesma forma a existência de seres maus, por natureza desde o início.

Em Rm 7, diz que em nossa carne oculta-se o pecado. Precisamos entender o que significa "carne". "Carne" não significa o corpo humano, mas sim em sentido moral, que indica o conjunto de tentações que já se alojam em nossos corações, digo, em nosso interior. É chamado também de "concupiscência", de onde provém do pecado, nos leva para o pecado, mais mesmo assim, ainda não é pecado.

Não podemos cair no erro em achar que o nosso corpo seja mau. Só chamado a santificar o nosso corpo. Outra coisa que precisamos esclarecer é que: é importante controlarmos as paixões. O termo "paixão" tem duas conotações: sentido positivo, como um desejo sensível bom, quando isso indica uma tendência natural; desejo de comer, de gostar de alguém, de fazer um trabalho... Sentido negativo, quando elas se tornam impulsos incontroláveis, nos conduzindo ao mal.

Mais, nem às "paixões" também são pecados em si mesmo. Já que o homem possui normalmente a liberdade e a força para vencer as inclinações ao mal.

O grande mal que à no mundo é o pecado. E ele nos atinge do resultado de um livre consentimento do ser humano ao mal. Somos nós os responsáveis por todo mal que se apodera do nosso coração e por meio dele, entra no mundo.

Uma coisa importante pra se observar é o seguinte: existe dois tipos de males no homem, "moral" que é o pecado, e os "fisícos" têm um caráter punitivo, por causa da desobediência de Adão e Eva.

Os sofrimentos são mecanismos que nos coloca de sobreaviso, para não buscarmos, no mundo, a nossa felicidade definitiva, e sim para dirigirmos a nossa mente a Deus.

Cada um de nós, temos em nosso interior, um paraíso, ou seja, um coração criado por Deus num estado de perfeição, de amor. Cada ser humano experimenta em seu coração, a experiência da serpente que penetra em nosso coração para nos seduzir.

A fonte e o começo de todo pecado é o pensamento. Mais não é um simples pensamento, mas de um pensamento cheio de maldade, de impureza. A nossa faculdade do pensar não é um mal e nem mesmo é mal. As coisas na qual pensamos, seja ela qual for, não é mal, mas podem se tornar pedra de tropeço por causa dos impulsos impuros que a eles se acrescentam.

É preciso entender que "puro" é tudo aquilo no qual nada se acrescenta. Os pensamentos são puros até que não se lhes acrescentam impulsos que podem levar a fazer o mal.

Os nossos impulsos para o mal não vêm do coração humano, porque esse foi criado por Deus. Eles vêm de "fora" de nós, não fazem parte do nosso modo de pensar natural. Só vão se tornar um mal quando os aceitarmos de maneira consciente e livremente, isto é, quando nos identificamos com eles.

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA