quarta-feira, 23 de maio de 2012

LITURGIA


A palavra “liturgia” significa originalmente “obra pública”, “serviço da parte de/e em favor do povo”. Na tradição cristã ela quer significar que o povo de Deus toma parte na “obra de Deus”.
A palavra “liturgia” no Novo Testamento é empregada para designar não somente a celebração do culto, mas também o anúncio do Evangelho e a caridade em ato.
Cada vez que celebração a morte e ressurreição de Jesus Cristo, cada vez que evangelizamos, anunciando a Boa Nova e realizamos atos de caridade para com os nossos irmãos, podemos dizer que realizamos um ato litúrgico.

Aqui vou falar da parte da liturgia como Celebração do culto. Vou utilizar a imagem do Templo de Jerusalém, para fazer uma comparação muito dinâmica e legal para podermos entender um pouco mais a Missa.

O Templo de Jerusalém era dividido em três partes: o átrio, o santuário e o santo lugar.

O Átrio:
Era a parte externa do Templo. No átrio existia a bacia da purificação, onde as pessoas lavavam as suas mãos e os pés. Hoje, temos o pátio da Igreja, onde podemos começar a nos preparar para melhor celebrar o culto. É o momento de conversarmos, colocar o nosso papo em dias. Acolher o nosso irmão, partilhar a nossa semana, falarmos dos problemas e alegrias. Tudo isso devemos fazer antes de entrarmos na Igreja, o lugar de oração e silêncio.

O Santuário:
Era o lugar onde se realizava as oferendas ao Senhor. Onde se fazia orações, escutava a Palavra. Ao entrarmos na Igreja, é o momento de oração, não mas de conversarmos de coisas que venham a nos distrair e dispersarmos. No santuário pedimos perdão ao Senhor por nossos atos de ofensa, escutamos a sua palavra. É no santuário que o Senhor prepara a nossa alma para a conversão, a transformação. O santuário tem também como símbolo o nosso interior, a nossa alma. Ai estão os nossos sentimentos e emoções, onde o Senhor precisa realizar em nós uma obra nova.

O Santo Lugar:
Era onde ficava a arca da aliança, onde somente os sacerdote podia entrar. Este é o momento mais importante da Missa, o momento eucarístico. Aqui Jesus vem oferecer-se a nós. É o momento de cura do nosso espírito e alma. Quando comungamos o Senhor, recebemos a sua graça para vivermos da melhor maneira a nossa vida espiritual.

Resumo:
Quero resumir estas palavras com algumas reflexões.

  • A Missa é o momento de festa, de confraternização com os nossos irmãos, onde juntos celebramos a vida, mas, não é qualquer vida é a Vida em Cristo, a Vida em abundância que Ele oferece a cada um de nós que acreditamos n’Ele. Na Celebração Eucarística, devemos entregar todos os nossos anseios, angústias, alegrias, esperanças e as lutas, pois, Cristo Ressuscitado esta conosco.
  • Na Celebração Eucarística, é sempre bom irmos com a família toda reunida. Para que os laços de amor possam fortalecer-se.
  • Muitas pessoas dizem que não vão a Missa porque não têm tempo, mas, tempo é algo que damos para aquilo que achamos que é importante para a nossa vida. Devemos vê a importância que estamos dando a Missa.
  • Devemos ir a Missa sempre, todos os domingos e se tivermos tempo, durante a semana também. Muitos só querem ir nos períodos de festa. Perdem toda a espiritualidade que existe na Missa através dos períodos litúrgicos.
  • A Missa é o nosso compromisso de cristão e não uma obrigação. Não somos obrigados a ir a Missa, mas, somos convocados, convidados por Cristo a nos encontrarmos com Ele e os irmãos, a celebrar a sua morte e ressurreição, e juntos vencermos os ataque do demônio.
  • Para melhor celebrarmos, é importante termos experiências com Jesus. Essas experiências podemos realizar através da leitura da Palavra, grupos, encontros de formação...
  • A Missa é uma celebração de ação de graças, é memorial, refeição de amor e presença real de Jesus Cristo na comunidade juntos orar, pedindo e clamando.
 Marcos Ágape
Fundador da Fraternidade Ágape

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA