quinta-feira, 25 de outubro de 2012

CORPO COMO TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO


Texto: 1Cor 3,16
Corpo, morada do Espírito!
·      Nos disse João Paulo II: “Vós sois o Templo de Deus. Na verdade, o verdadeiro santuário, a morada de Deus entre os homens, é o homem mesmo, na medida em que o edifício é solidamente construído sobre o fundamento que é Jesus Cristo”
·      “Deus nos criou à sua imagem e semelhança” (Gn 1,27).
·      Esta imagem está impressa em nós, e a pressentimos ao mesmo tempo em que sofremos por não corresponder a ela. Percebemos confusamente a distância entre o que somos (uma imagem muitas vezes suja e quebrada) e este desejo, esta aspiração a uma semelhança cada vez mais perfeita com Deus.
·      Como o meu rosto corresponde ao meu ser? O rosto é um mistério, já que é composto do que queremos ser sem o poder, e do que somos sem querer. Há em cada um de nós uma aspiração a ser belo ou bela e que é profundamente justa e legítima. Mas trata-se de procurar a beleza que vem de dentro e que é um dom de Deus. Era essa beleza que Adão e Eva tinham no jardim do Édem e que perderam por causa do pecado.
A Beleza do Corpo
·      Necessitamos ser vistos para sentir que nossa vida tem um sentido, que existimos para alguém. Necessitamos que alguém reconheça que somos únicos.
·      Deus é um artista. Ele só cria peças únicas. Não somos peças feitas em série. E porque somos únicos, podemos ser para Deus “o mais belo”, “o mais amado” e entrar nessa relação única com nosso Deus. Mas as experiências negativas, de desamor, estão inscritas bem profundamente no corpo e deixam uma emoção que nem sempre chegamos a identificar.
·      O cuidado do corpo tornou-se mais que excessivo, pois não nos suportamos tal como somos, porque o mundo nos rejeita se não nos submetemos aos seus modelos.
O Corpo Sob o Olhar de Deus
·      Quando Deus permite que encontremos alguém que pouse sobre nós um olhar de amor, um reflexo do olhar divino junta-se a nós e vai corrigir, pouco a pouco, aquele que pousamos sobre nós mesmos. O amor humano tem sempre suas debilidades e nossas imagens negativas rapidamente se levantam.
·      Diz Santa Teresinha: “Sim, tenho necessidade de um coração cheio de ternura, que ame tudo em mim, mesmo minha fraqueza, e não me abandone nem de noite nem de dia”.
·      Temos necessidade de um olhar que esteja pousado sobre nós sem cessar. É o olhar do Pai que sempre está lá para nos dar a vida e nos convencer que somos amáveis e infinitamente amados.
·      Quando o Santíssimo Sacramento está exposto, onde Jesus se expõe para nós na hóstia consagrada, somos convidados a nos expor ao seu olhar, a nos deixar olhar por Cristo, a deixar os raios de seu amor penetrar em nós.
O Corpo e a Alma Invisivelmente Ligados
·      É extraordinário que Deus tenha escolhido nosso corpo para ser o lugar de sua presença. Esta é a inacreditável dignidade do homem.
·      Querendo nos manifestar até onde nos amava, Ele deu a vida por nós, e dar a vida é entregar o seu corpo. Não se pode dar a vida fora do corpo. A oferta do coração é a oferta do corpo. É impossível separar o corpo do coração, o corpo da alma, o corpo do espírito.
·      Deve haver da nossa parte um respeito profundo diante do nosso corpo, que devemos considerar como o lugar da manifestação da presença de Deus. É evidente que o inimigo de Deus vai tentar destruir sem parar a obra da criação, destruir a criatura, pois o amor lhe é insuportável.
·      Pudesse nossa geração encontrar o maravilhamento diante do dom da vida, o mistério do homem e sua extraordinária dignidade.
 A Dignidade da Pessoa Humana
·      Enquanto acontecia a criação da natureza era a voz de Deus Pai que trabalhava. É a mão de Deus que trabalha. As mãos divinas modelam o homem, plasmam-no. É o próprio Deus o artesão do homem. Deus entra em contato direto com a sua criatura, derrama sobre ela o seu afeto, a faz semelhante a Ele mesmo.
·      Deus deseja se reconhecer no homem, deseja ver no homem os seus traços, a sua fisionomia, a sua beleza e isso não é pouca coisa. Deus tem predileção pelo homem. Deus é o artista que não assina a sua obra-prima porque a obra já é o retrato do autor.
·      O homem foi criado com uma dignidade única. Diferente das árvores e das plantas, diferente de todos os animais. Foi criado parecido com o seu Criador, foi criado para relacionar-se intima e apaixonadamente com o seu Senhor e Deus; é a única criatura capaz de descobrir o seu Criador, capaz de conhecê-lo, capaz de amá-lo.
·      Enquanto os animais agem por instinto, o homem age pela VONTADE e pela INTELIGÊNCIA, características que existem em Deus, claro que numa dimensão infinitamente superior, e que Deus deliberadamente deu ao homem.
·      A dignidade do homem é inalienável, mesmo quando as circunstâncias o levam a esquecer-se dela, no seu intimo o homem clama por essa filiação divina, clama pelo respeito para com o próprio corpo, clama pelo zelo para com a alma, porque a sua divindade de possuidor da imagem e semelhança de Deus é indelével, faz parte do mais intimo do seu ser.

Viveis como verdadeiros Templos do Espírito Santo. Deixai-vos que Ele vos conduza para uma vida de santidade. Amém!
Marcos Ágape

Nenhum comentário:

NOTÍCIAS DA IGREJA